Maragogi

Maragogi, cerca de 125 Km ao norte de Maceió, capital de Alagoas, tem uma bela praia de ondas calmas, com areia fina. Além de um orla urbanizada, repleta de bares, restaurantes, lojas de artesanato e muita badalação, principalmente nos finais de semana.

As praias paradisíacas de Maragogi

As praias mais tranquilas ficam nas vizinhanças, como a bucólica São Bento. 11 km ao sul, aldeia de pescadores que é cenário perfeito para quem procura paz e descanso.
Também ao norte, até a divisa com o estado de Pernambuco, surgem diversas vilas e praias paradisíacas, sendo Ponta de Mangue a mais bonita.

As praias mais tranquilas ficam nas vizinhanças, como a bucólica São Bento, 11 km ao sul, aldeia de pescadores que é cenário perfeito para quem procura paz e descanso.
Também ao norte, até a divisa com o estado de Pernambuco, surgem diversas vilas e praias paradisíacas, sendo Ponta de Mangue a mais bonita.

Maragogi é o principal destino turístico de Alagoas depois da capital. Certamente são as Galés, arrecifes de coral que, na maré baixa, formam piscinas naturais a 5 km da costa, grande atração.

Galés – Área de Preservação Ambiental Costa dos Corais

Protegidas pela Área de Preservação Ambiental Costa dos Corais, maior unidade de conservação marinha do Brasil. As Galés fazem parte da segunda mais extensa barreira coralina do planeta. Estendida ao longo de 135 km, desde Paripueira, em Alagoas, até Tamandaré, em Pernambuco.

O tráfego de turistas é controlado, para preservar a integridade deste verdadeiro paraíso.  Cuja água além de boa temperatura, tem visibilidade impressionante. Consequentemente permite observar uma incrível riqueza de flora e fauna. Que além de mais de quinze espécies de peixes, tem mais de dez espécies de corais.

Os visitantes são orientados a não tocar ou pisar nos corais. Pois os animais são bastante suscetíveis e morrem com extrema facilidade. Também a não comprar pedaços ou peças de artesanato produzidas com eles nas praias da região. Além de expressamente proibido por lei, estimula a extração predatória.

Na maré baixa, a profundidade nas Galés varia de cinqüenta centímetros até seis metros. Em águas rasas, o uso de nadadeiras deve ser evitado. O ideal é realizar o mergulho munido apenas com máscara e snorkel, de preferência acompanhado por um instrutor, e levar de recordação somente o que puder ser registrado na memória e em filmadoras ou máquinas fotográficas.

Os guias costumam levar ração adequada para atrair cardumes.  Os peixes-sargento, que têm o corpo amarelo com listras pretas estão acostumados a comer nas mãos dos turistas.

Quem quiser ir mais fundo, deve manter os equipamentos de mergulho autônomo sempre junto do corpo. Além de obedecer, de forma irrestrita, todas as orientações ministradas. Graças a esses cuidados, apesar do intenso trânsito imposto pelo turismo às Galés, os corais da região continuam relativamente bem preservados.